fbpx

Cabo Polonio é uma vila charmosa que reúne o que o Uruguai tem de melhor: praias incríveis, natureza e muito charme. Cabo Polonio está localizado em uma área protegida do Parque Nacional Cabo Polonio e é conhecido pela “buena onda”, como os uruguaios chamam um lugar com boas vibrações.

O povoado de Cabo Polonio fica entre dunas. Não tem asfalto ou restaurantes super sofisticados por lá, o que faz do lugar ainda mais especial. Se você precisa de uns dias para desacelerar da rotina e curtir a natureza, Cabo Polonio é o lugar.

Pôr do sol na Playa Sur

Leia também: Uruguai: o melhor roteiro de carro

Informações úteis

  • Cabo Polonio fica entre dunas, por isso o acesso é feito por veículos 4×4 autorizados. De qualquer forma é simples chegar lá: tem um caminhão que faz o transporte dos turistas diariamente;
  • Não há rede elétrica em Cabo Polonio, mas a grande maioria dos estabelecimentos possui energia solar, eólica ou gerador. Então você possivelmente vai encontrar energia por lá, embora limitada;
  • Já tem sinal de celular em Cabo Polonio! Fomos em fevereiro de 2020 e conseguimos internet pelo chip da EasySim4U tranquilamente;
  • Melhor não depender de cartão de crédito em Cabo Polonio. Embora alguns lugares já aceitem cartão de crédito, não são todos;
  • As vias são de areia, então não faz sentido levar outro sapato que não chinelo e tênis.

Acesso à Cabo Polonio

Cabo Polonio está localizado no Departamento de Rocha, entre as praias de Punta del Diablo e La Paloma.

Por estar localizada entre dunas, o acesso à Cabo Polonio é apenas por veículos 4×4 autorizados. Há uma jardineira (caminhão 4×4) que faz o transporte dos turistas até lá.

Na entrada do Parque Nacional Cabo Polonio tem um centro de atenção ao turista com estacionamento, lanchonete e banheiro. De lá saem diariamente as jardineiras que levam os turistas até a vila. O trajeto tem aproximadamente 8km. Os horários de ida vão das 7h30 às 22h e de retorno vão de 8h às 20h e a passagem custa 270 pesos uruguaios (aproximadamente R$ 24,50) por pessoa (ida e volta), sendo que crianças com 5 anos ou menos não pagam. Clique aqui para ver mais informações sobre os horários de ida e volta para Cabo Polonio.

Se estiver de carro ou moto, você pode deixá-lo no estacionamento que tem no centro de atenção ao turista. O valor do estacionamento por dia é 190 pesos uruguaios (aproximadamente R$ 17) para carros e 90 pesos uruguaios (aproximadamente R$ 8) para motocicletas.

Leia também: 10 acessórios para fotografia de viagem

Como chegar em Cabo Polonio

De carro

Para chegar em Cabo Polonio de carro, a partir do Chuí, no Rio Grande do Sul, você deve seguir pela Ruta 9 e, depois, pela Ruta 10 até o Camino al Cabo. Clique aqui para ver o trajeto no Google Maps.

Saindo de Montevidéu, o trajeto também é feito pelas Ruta 9 e Ruta 10. Clique aqui para ver o trajeto detalhado no Google Maps.

De ônibus

A empresa de ônibus que faz o transporte até Cabo Polonio é a Rutas del Sol, com saídas a partir de Montevideo, Aguas Dulces, San Carlos Pan de Azúcar, Barra de Valizas, Chuv-Coronilla, Forta.-Punta del Diablo, Rocha, La Pedrera-La Paloma e Castillos. Antes de planejar sua viagem dá uma olhada no site do Rutas del Sol para conferir o valor da tarifa e os horários do ônibus.

Quando visitar Cabo Polonio

Cabo Polonio fica no Uruguai, país de clima temperado, de modo que no verão a temperatura sobe e no inverno o clima é bem frio. A melhor época para ir à Cabo Polonio depende do perfil de quem está viajando, mas, na nossa opinião, a melhor época para visitação é no verão.

Observe que no inverno a temperatura cai muito por lá. Além disso, várias pousadas, restaurantes e bares ficam fechados.

Nós fomos para Cabo Polonio em fevereiro, a temperatura estava ótima, com dias lindos de sol e, mesmo assim, um friozinho à noite. Não deixe de levar um casaco na mala, seja qual for a estação.

Onde se hospedar em Cabo Polônio

Há algumas opções de hospedagem em Cabo Polonio. Nós selecionamos alguns hostels e pousadas que consideramos bem legais, mas para conferir outras opções de hospedagem em Cabo Polonio clique aqui.

Viejo Lobo

O Viejo Lobo é daqueles hostels descolados que reúne viajantes de vários lugares com o intuito de conhecer Cabo Polonio. Com cara de casa e decoração colorida, você vai acabar querendo estender sua estadia por lá.

  • Localização: Plaza Central Cabo Polonio, 27000
  • Valor aproximado da diária do quarto duplo: R$ 230
  • Valor aproximado da diária de cama de solteiro em dormitório: R$ 60

Clique aqui para saber mais sobre o Viejo Lobo!

Lobo Hostel Bar

O Lobo Hostel Bar é um lugar mágico e com uma vibe bem legal. Além de hostel, a comida e a bebida do bar do Lobo Hostel é deliciosa. As acomodações são confortáveis e algumas têm um deck com vista para o mar e o céu estrelado de Cabo Polonio.

  • Localização: Camino Posadas, 27202
  • Valor aproximado da diária do quarto duplo: R$ 150
  • Valor aproximado da diária de cama de solteiro em dormitório: R$ 50

Clique aqui para saber mais sobre o Lobo Hostel Bar!

Sueño Profundo Hostel

Nós ficamos hospedados no Sueño Profundo Hostel e adoramos: o hostel é charmoso, limpo, a equipe é atenciosa e a vibe por lá é bem legal. O hostel conta com um espaço em comum no quintal cheio de colchões para você curtir o fim de tarde.

  • Localização: Camino Posadas 71, 27202
  • Valor aproximado da diária do quarto duplo: R$ 240
  • Valor aproximado da diária de cama de solteiro em dormitório: R$ 80

Clique aqui para saber mais sobre o Sueño Profundo Hostel!

Palacio de los Sapos 

O Palacio de los Sapos também é um hostel super charmoso, descolado e organizado, com um jardim com redes e poltronas coloridas. Os quartos compartilhados possuem área de estar comum e são bem decorados.

  • Localização: Camino Público Sin número, 27200
  • Valor aproximado da diária de cama de solteiro em dormitório: R$ 70

Clique aqui para saber mais sobre o Palacio de los Sapos!

Posada Rosada de los Corvinos

Com cara de casa, bem cuidada e limpa, com um jardim fofo, a Posada Rosada de los Corvinos é super bem avaliada por quem passou por lá. A equipe é atenciosa e cuidadosa com os hospedes e o lugar é um charme.

  • Localização: Playa la Calavera Casa Rosada, 27202
  • Valor aproximado da diária do quarto duplo: R$ 215
  • Valor aproximado da diária de cama de solteiro em dormitório: R$ 80

Clique aqui para saber mais sobre a Posada Rosada de los Corvinos!

Posada Carmela

A Posada Carmela é uma pousada aconchegante, literalmente na beira da praia. Confortável e com bom atendimento, só ouvimos avaliações positivas da Posada Carmela. É daquelas pousadas cheias de charme, em tons azuis, que vai fazer você querer voltar para Cabo Polonio.

  • Localização: Camino Posadas, 27202
  • Valor aproximado da diária do quarto duplo: R$ 500
  • Valor aproximado da diária de cama de solteiro em dormitório: R$ 215

Clique aqui para saber mais sobre a Posada Carmela!

El jardin de Eli

O El jardin de Eli é um Bed and Breakfast (Cama e Café) cheio de charme, com um terraço e acomodações bem decoradas. Com cara de casa, mas conforto de pousada, se você busca uma acomodação romântica para viajar a dois ou um lugar com um pouco mais de conforto, essa pousada charmosa é uma ótima opção.

  • Localização: Playa Calavera (norte) Lo de Elizhabeth, 27202
  • Valor aproximado da diária do quarto duplo: R$ 300

Clique aqui para saber mais sobre a pousada El jardin de Eli!

História de Cabo Polônio

*Nós traduzimos um pouco do que aprendemos no Museu Espaço Sensorial de Cabo Polonio sobre a história da vila

Fim de tarde no farol

Cabo Polonio era um morro rodeado por uma extensa planície, onde habitavam seres enormes, conhecidos como megafauna. O mar estava há muitos metros abaixo do nível atual. Havia mais de 120 tipos de animais, dos quais 15 tinham mais de 1000kg. Esses animais, como tigres-de-dentes-de-sabre, ursos e elefantes, conviviam com o homem e eram presa de caça da época.

Milhares de anos depois, o oceano superou por vários metros o nível atual, de modo que o morro se transformou em uma ilha. Quando o nível do mar começou a baixar ao nível que hoje o conhecemos, a ilha se transformou em um cabo (massa de terra que se estende pelo mar) por conta da deposição de areia suboceânica. Por sua vez, essa areia gerou o sistema de duna móvel, patrimônio natural de Cabo Polonio.

O cabo era conhecido como “o inferno dos navegantes”. Diziam que as bússolas perdiam o rumo. Além das dezenas de naufrágios, a região também era alvo de piratas.

Por estar longe dos núcleos de colonização (Buenos Aires e Rio de Janeiro), a região era atrativa aos corsários e piratas holandeses, dinamarqueses, ingleses e franceses que visavam desestabilizar as coroas portuguesa e espanhola.

Cabo Polônio deixou de ser uma fronteira flutuante com o Tratado de Madrid, em 1750, que a marcou aos pés do Cerro de la Buena Vista.

Etienne Moreau, pirata francês, foi o primeiro europeu que se assentou nessa costa, no início do século XVIII, e estabeleceu um vínculo com os nativos, chegando a compartilhar o francês como idioma. Juntos, trabalhavam com vacas e comerciavam seu couro. O resto dos ossos eram deixados sob a areia, o que deu nome ao lugar de “Playa de la Calavera” (Praia da Caveira).

Os descendentes de naufrágios, os lobeiros (caçadores de lobos marinhos) e os pescadores assentados em Cabo Polonio começaram a receber novas pessoas que chegavam das cidades. Em 1966 as dunas foram declaradas Monumento Natural e, por isso, o Estado expropriou terras privadas. Essa expropriação nunca se concretizou, de modo que a situação das terras acabou ficando legalmente ambígua, gerando novos assentamentos.

Em Cabo Polonio, os amantes da natureza e da liberdade descobriram um lugar comum que os recebeu fora das regras sociais, mas dentro das naturais. A interação entre gente do mar, do campo e da cidade resultou na identidade da comunidade e faz parte do patrimônio cultural de Cabo Polonio.

Foram reunidos indivíduos de todas as classes sociais e condições culturais seguindo um chamado ancestral que lembra que o ser humano é um ser da natureza. Descobriram a simplicidade de viver uma vida rústica, desvinculada da correria e do consumo.

Tais singularidades, desde a década de 90, fizeram de Cabo Polonio um reconhecido destino turístico fora da globalização. Cabo Polonio é um lugar que inspira, entre outras coisas, a viver o “aqui e o agora”.

Leia também: As praias mais bonitas de Santa Catarina

Nossa experiência em Cabo Polonio

Do alto do penhasco com vista para a Playa Sur

Muita gente tira o dia para conhecer Cabo Polonio. Nós gostamos muito de lá e achamos que vale a pena passar uma ou mais noites para conhecer a vila com calma, ver o pôr do sol e o anoitecer e, à noite, ir em algum dos restaurantes e bares charmosos que ficam abertos.

Tenha em mente que Cabo Polonio é uma vila rústica, então a maior parte dos hostels e pousadas por lá são simples e charmosos. Tem uma ou outra opção mais sofisticada.

Atualmente, tem energia solar, eólica e gerador em Cabo Polonio, mas ainda assim a energia elétrica é limitada (no quarto que ficamos no hostel, por exemplo, não tinha tomada).

Leia também: Os melhores acessórios de GoPro para Surf

O que fazer em Cabo Polonio

  • Conhecer a Playa Norte e a Playa Sur
  • Observar os leões, lobos e elefantes marinhos (dependendo da época também dá para ver baleias na região)
  • Ver a vila do alto do farol
  • Conhecer o Museo Espaço Sensorial
  • Caminhar até o Cerro de la Buena Vista
  • Comer um bolinho de alga e tomar uma cerveja artesanal
  • Ver o fenômeno Las Noctilucas
Lua cheia em Cabo Polonio

O povoado de Cabo Polonio fica entre a Playa Sur (por onde chega a jardineira), para onde o sol se põe, e Playa Norte ou Playa de la Calavera, de onde nasce o sol. A Playa Sur é mais inóspita, o que não faz dela menos bonita do que a Playa Norte. A Playa Norte tem o mar mais calmo e fica cheia no verão.

Se for passar o dia em Cabo Polonio não deixe de conhecer a Playa Norte (você pode tentar ver o nascer do sol por lá) e observar os leões, lobos e elefantes marinhos, que ficam no canto direito da Playa Norte, em direção ao farol.

Lobos e leões marinhos

Você também pode subir o farol para ver a vila de cima. A torre do farol foi construída em 1881 e tem 27 metros de altura. O horário de visitação do farol é das 10h às 13h e das 15h até o pôr do sol. O ticket para subir o farol custa 30 pesos uruguaios (aproximadamente R$2,70).

Outra experiência legal é o Museo Espaco Sensorial. Além de contar um pouco da história de Cabo Polonio, o museu traz uma experiência sensorial interessante. A visita não demora muito e o valor sugerido de entrada é 100 pesos uruguaios (aproximadamente R$9) por pessoa.

O Cerro de la Buena Vista também faz parte do roteiro de muita gente que vai para Cabo Polonio. O Cerro de la Buena Vista é o ponto mais elevado das dunas da costa do Uruguai, que separam o balneário Barra de Valizas de Cabo Polonio. A paisagem vista de lá é incrível.

Para chegar ao Cerro de la Buena Vista a partir de Cabo Polonio são aproximadamente 20km de caminhada (ida e volta) pela areia, passando pelo marco de 1750 que delimitava a primeira fronteira entre portugueses e espanhóis. O trajeto pode ser feito pela costa, sendo um pouco mais longo (aproximadamente 10km), ou pelas dunas, sendo um pouco mais cansativo, mas menos longo (aproximadamente 7km).

Não deixe de experimentar o bolinho de alga e tomar uma cerveja artesanal por lá. O bolinho de alga é um prato típico e delicioso de Cabo Polonio.

Além disso, dependendo da época do ano, se você for passar a noite em Cabo Polonio, pode ir em uma das praias pisar na espuma das ondas para ver Las Noctilucas no fenômeno da bioluminescência.

Veja abaixo o vídeo da nossa viagem para Cabo Polonio:

Curtiu esse post?! Deixa um comentário pra gente!

Cadastre seu e-mail para receber as dicas de viagem e fotografia do GetOutside.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.