fbpx

A Chapada das Mesas é um paraíso ainda pouco conhecido do Maranhão.

Com cachoeiras, Cânions, paisagens incríveis e poços com águas cristalinas, é um lugar que vale a pena você conhecer no Brasil.

Nesse post vamos compartilhar um roteiro bem legal de 4 dias pela Chapada das Mesas que você consegue fazer praticamente todo por conta própria e em carro comum (o único passeio que você precisa de veículo 4×4 é o do Parque Nacional da Chapada das Mesas).

Além disso, quase todas as atrações que conhecemos na Chapada das Mesas não tem trilha para chegar (só uma caminhada rápida de poucos metros).

Onde fica a Chapada das Mesas?

A Chapada das Mesas fica no sul do Maranhão, quase na divisa com o Tocantins. Se você tiver tempo pode combinar um roteiro pela Chapada das Mesas e pelo Jalapão. A Chapada das Mesas fica a aproximadamente 475km (8 horas de carro) de Palmas.

Se você quiser saber mais sobre o Jalapão dá uma olhada nesse post: “Roteiro pelo Jalapão: Tudo o que você precisa saber”.

Sobre o Parque Nacional da Chapada das Mesas 

O Parque Nacional da Chapada das Mesas foi criado em 2005, com 160 mil hectares de extensão. O nome “Chapada das Mesas” vem das formações rochosas em formato de platô, que parecem mesas na paisagem plana.

O Parque Nacional da Chapada das Mesas abrange os municípios de Riachão, Carolina e Estreito e fica em uma zona de transição entre caatinga, cerrado e floresta amazônica.

Como chegar na Chapada das Mesas?

A cidade base para conhecer a Chapada das Mesas é Carolina, sendo que o aeroporto mais próximo da Chapada das Mesas, a 119km de Carolina, é o Aeroporto Regional de Araguaína (AUX) que fica em Araguaína.

Outra cidade próxima à Carolina, que também tem aeroporto, é Imperatriz, a 220km de Carolina.

De Araguaína ou Imperatriz você pode chegar até Carolina de ônibus, transfer ou carro. Se você não for contratar agência para fazer os passeios pela Chapada das Mesas a opção que vai te dar mais liberdade é alugar um veículo para se locomover, já que as atrações da Chapada das Mesas ficam a alguns quilômetros de Carolina.

Clique aqui para pesquisar, comparar e economizar no seu aluguel pela Rental Cars.

Para você ter uma ideia da distância das atrações (a partir de Carolina):

  • Parque Nacional da Chapada das Mesas: 30 km de asfalto e mais 50 km de estrada de chão (praticamente toda na areia)
  • Complexo Santuário da Pedra Caída: 37 km de asfalto
  • Mirante e Portal da Chapada das Mesas: 25 km de asfalto
  • Cachoeira do Dodô: 32 km
  • Cachoeira de Itapecuru: 32 km
  • Rio Tocantins: o bar Chega+ onde muita gente vê o pôr do sol fica a 1km do centrinho de Carolina
  • Poço Azul e Encanto Azul: 130 km de Carolina dos quais os 8km finais são de estrada de chão até o Poço Azul e depois mais 7km de estrada de chão até o Encanto Azul

Se você tiver mais tempo de viagem e optar for combinar o seu roteiro pela Chapada das Mesas com o Jalapão você pode voar para Palmas e de lá seguir para a Chapada das Mesas. Ai das duas uma: ou você faz o roteiro todo com agência (nós recomendamos a Canindé Ecotour), ou aluga um carro em Palmas para fazer o trajeto por conta própria.

Para ler nosso post sobre como fazer o Jalapão em um veículo comum (4×2) clique aqui.

Quantos dias para conhecer a Chapada das Mesas?

Em 3 dias você consegue conhecer as principais atrações da Chapada das Mesas,  mas para conhecer tudo com calma melhor separar 4 dias de viagem, além dos dias de deslocamento para chegar até Carolina (principal cidade base para conhecer as atrações da Chapada das Mesas).

Qual melhor época para ir para a Chapada das Mesas?

A melhor época para ir à Chapada das Mesas é no período de seca, que vai de maio a novembro.

No período de chuvas, de dezembro até o início de maio, pode ser que os poços fiquem mais turvos, mas em geral não é uma região que tem um alto volume de chuva.

Onde se hospedar?

Embora tenha aeroporto em Araguaína e Imperatriz, a maioria das atrações estão mais próximas à Carolina, por isso sugerimos que você de hospede por lá.

Carolina é uma cidade pequena, mas tem uma boa estrutura, com pousadas, bar, restaurante, supermercado, farmácia, etc. Além disso, o centrinho de Carolina preserva as características históricas da cidade.

Outra boa sugestão é você dormir no Complexo Poço Azul quando for para lá conhecer. O lugar é bem charmoso, com espreguiçadeiras, luzinhas baixas à noite e um restaurante legal. Além disso, a logística fica melhor, já que o Poço Azul fica a 130 km de Carolina.

Veja abaixo algumas sugestões de hospedagem em Carolina:

Rancho das Estrelas

Imagem/Reprodução Booking

O Rancho das Estrelas é um hotel fazenda com uma área externa bem legal. É uma das melhores hospedagens da cidade! Aconchegante e charmoso. Clique aqui para conferir disponibilidade e valores.

Pousada dos Candeeiros

Imagem/Reprodução Booking

Um dos hotéis mais novos de Carolina, com uma localização excelente, bem no centro histórico. A Pousada dos Candeeiros oferece conforto, com Wi-Fi, piscina e ar condicionado nos quartos. Clique aqui para conferir disponibilidade e valores.

Refúgio do Raiz Camping

Imagem/Reprodução Booking

Nós ficamos um noite no Refúgio do Raiz Camping e gostamos muito! O camping possui cozinha, área comum e banheiros (bem limpos). É possível estacionar motorhome (inclusive carros grandes) e tem ponto de energia e de água. Além de área de camping, o Refúgio Raiz Camping possui quartos para hospedagem. Próximo ao camping tem um rio (pequeno, mas gostoso) para banho e o camping fica bem próximo a entrada do Portal da Chapada das Mesas. Clique aqui para conferir disponibilidade e valores.

Ventanas Hotel Boutique

Imagem/Reprodução Booking

Hotel boutique de charme muito bem avaliado! O Ventanas Hotel Boutique possui piscina, estacionamento, bar e lounge de uso comum. Todos os quartos têm TV e banheiro privativo. Clique aqui para conferir disponibilidade e valores.

Casarão Central

Imagem/Reprodução Booking

Se seu plano é fazer uma viagem de família ou com os amigos o Casarão Central é uma casa de temporada com piscina, cozinha, 4 quartos, 5 banheiros, churrasqueira e estacionamento. Clique aqui para conferir disponibilidade e valores.

Roteiro de 4 dias na Chapada das Mesas

DIA 1: Parque Nacional da Chapada das Mesas (Cachoeira de São Romão e Cachoeira do Prata)

O Parque Nacional da Chapada das Mesas foi criado e 2005. São 160 mil hectares de proteção com 14 cachoeiras, das quais apenas 2 estão abertas para visitação: A Cachoeira de São Romão e Cachoeira do Prata.

Esse é o único dia do roteiro que é necessário veículo 4×4 para chegar (e mesmo assim com risco de atolar, porque é muita areia!). São 30 km de estrada (boa) e mais 50 km de estrada de chão arenosa. Se você não tiver veículo 4×4 pode optar por contratar um passeio, nós fizemos com a Canindé Ecotour e gostamos bastante.

Em tese precisa de guia para entrar no Parque Nacional da Chapada das Mesas, mas não tem nenhum tipo de controle na entrada. A questão é que não tem nenhuma placa dentro Parque indicando o caminho.

Dá para chegar de carro praticamente na entrada das duas cachoeiras, tem uma caminhada de poucos metros para chegar até a queda d’água.

Nossa primeira parada foi na Cachoeira de São Romão. Descemos uma escadaria (não tem trilha) para chegar em uma prainha gostosa para banho, de onde você já consegue avistar a cachoeira.

Da praia, caminhando 5 minutos pelas pedras, chegamos até a parte de trás da Cachoeira de São Romão. Se você tiver sapatilha aquática é uma boa levar para fazer essa caminhada. Você fica completamente encharcado indo até lá (em razão da força da água), vale a pena!

O almoço pode ser tanto na Cachoeira de São Romão ou na Cachoeira do Prata, ambos servem refeição. Nós almoçamos na Cachoeira do Prata e depois do almoço fomos conhecer a cachoeira.

A Cachoeira do Prata é muito bonita, com duas quedas d’água de 26 metros de altura! Dá para tomar banho no rio que se forma da cachoeira.

Nossa última parada antes de voltar para Carolina foi na casa da Dona Marinês, que faz parte de uma das 130 famílias que vivem na área do Parque Nacional da Chapada das Mesas. Lá nós provamos o biscoito frito delicioso (feito de tapioca, água, gordura e ovo) que ela faz e tomamos um cafezinho.

DIA 2: Complexo Santuário da Pedra Caída

O Complexo Santuário da Pedra Caída é um complexo onde ficam algumas cachoeiras.

É no Complexo Santuário da Pedra Caída onde fica a cachoeira que mais gostamos da Chapada das Mesas: A Cachoeira do Santuário. É uma cachoeira que fica dentro de um cânion, você se molha todo para chegar até lá (por isso não temos fotos da cachoeira, mas confia em mim, vale muito a pena).

Dentro desse cânion fica uma cachoeira incrível, com água azulada contrastando com a rocha avermelhada. Entrou para lista de um dos lugares mais lindos que conhecemos.

Além da Cachoeira do Santuário, tem outras 5 cachoeiras abertas à visitação no Complexo Santuário da Pedra Caída: Cachoeira do Capelão, Cachoeira da Caverna, Cachoeira do Garrote, Cachoeira da Porteira e Cachoeira da Pedra Furada.

Além das cachoeiras, nossa dica é você subir o teleférico para ver o pôr do sol no mirante que fica próximo à pirâmide de vidro.

No complexo você paga por atração visitada e o valor varia se você pagar ou não a entrada para o complexo, mas para visitar apenas as cachoeiras você paga R$60 para a Cachoeira do Santuário, R$80 para a Caverna e Capelão e R$60 para subir de teleférico até a pirâmide (total: R$200).

Se você não estiver acompanhado por um guia precisa esperar os grupos guiados oferecidos pelo próprio complexo para conhecer as cachoeiras. Dependendo do período do ano os grupos podem ter umas 30 pessoas. Os grupos guiados para a Cachoeira do Santuário saem das 9h às 15h e para a Caverna e Capelão saem das 10h às 14h (melhor ligar antes para se informar, porque as saídas variam de acordo com o período do ano).

Outra forma de conhecer o complexo é contratar um guia particular ou tour no seu hotel para fazer o passeio. É mais custoso (o passeio custa em torno de R$500 + os ingressos), mas te dá mais flexibilidade e tranquilidade para fazer o passeio no seu tempo e sem muita gente.

A entrada para o complexo fica no asfalto, não tem estrada de chão e nem precisa de veículo 4×4 para chegar lá.

É um lugar indicado para quem vai com família. Nós particularmente não curtimos o complexo em si muito porque é um super empreendimento que achamos que tira um pouco o foco da natureza, mas certamente as cachoeiras fazem a visita valer a pena.

DIA 3: Portal da Chapada das Mesas, Cachoeira do Dodô ou Cachoeira de Itapecuru e Rio Tocantins

Portal da Chapada das Mesas

Comece o dia vendo o nascer do sol no Portal da Chapada das Mesas. Além de ser um mirante legal, lá tem uma pedra que faz uma moldura na paisagem.

A entrada para o portal, onde se inicia a trilha, fica na rodovia mesmo, não tem estrada de chão para acessar. Chegando lá tem 2 lugares para curtir a vista da Chapada das Mesas: o mirante da Chapada das Mesas e o Portal da Chapada das Mesas. A vista do mirante quando nós fomos estava melhor para ver o amanhecer.

São 600m de caminhada na areia fofa para conhecer o mirante e o portal: 400m para chegar até o mirante e, de lá, mais 300m para chegar até o portal. A caminhada é tranquila e, como boa parte é feita na areia, dá para fazer de chinelo.

O valor da entrada é R$10 (das 8h às 17h) e, para entrar antes desse horário para ver o sol nascer, a entrada sai R$20. É necessário fazer o agendamento para ver o nascer do sol pelo contato: (99) 99107-3052 ou (99) 98453-9975.

Cachoeira do Dodô ou a Cachoeira de Itapecuru

A Cachoeira do Dodô e a Cachoeira de Itapecuru não são tão bonitas quanto as demais, mas se você tiver tempo vale incluir no roteiro.

A Cachoeira do Dodô está localizada a 31 km de Carolina, lá tem estrutura com restaurante, camping e churrasqueiras. A entrada custa R$ 10.

As Cachoeiras Gêmeas do Itapecuru também ficam a 31 km de Carolina, são 2 quedas d’água com uns 10m de altura. O lugar tem uma super estrutura, com restaurante e pousada. A entrada custa R$ 15.

Se tiver que optar entre uma das duas escolheria a Cachoeira do Dodô.

Pôr do sol no Rio Tocantins

O pôr do sol no Rio Tocantins é muito bonito! Nós temos um caiaque inflável e fomos para o meio do rio no nosso caiaque curtir o pôr do sol, valeu muito a pena.

Vimos que tinha stand up paddle para aluguel na agencia Torre da Lua que fica em Carolina, também é uma opção legal.

Um lugar conhecido para ver o pôr do sol no Rio Tocantins é o bar Chega+.

DIA 4: Poço Azul e Encanto Azul

Nós adoramos conhecer o Poço Azul e o Encanto Azul. São atrações que ficam um pouco mais afastadas de Carolina, em Riachão. O Poço Azul fica a 130 km de Carolina dos quais os 8km finais são de estrada de chão até o Poço Azul e depois mais 7km de estrada de chão até o Encanto Azul em condição boa (com bastante costela de vaca). Já o Encanto Azul fica bem próximo ao Poço Azul, a 7km de distância de estrada de chão, mas as atrações não ficam no mesmo complexo.

Mesmo sendo afastados de Carolina são atrações que não podem ficar de fora do seu roteiro pela Chapada das Mesas.

Complexo Poço Azul

Um complexo composto por 6 cachoeiras abertas à visitação e ligadas por uma passarela de madeira. A caminhada é tranquila, são 700m de caminhada até o Poço Azul.

Vale tirar o dia para passar no Complexo Poço Azul (clique aqui para acessar o site do Complexo Poço Azul na Chapada das Mesas). Nossas atrações favoritas no complexo foram o Poço Azul e a Cachoeira Santa Bárbara. Uma atividade de aventura legal que tem para fazer lá é o rapel na Cachoeira Santa Bárbara (custa R$150).

Você pode passar a noite no próprio Complexo Poço Azul, que tem uma estrutura bem legal, para não ter que se preocupar com a hora para voltar para Carolina. O valor da diária é R$420, com café da manhã e entrada nos atrativos inclusos.

Não precisa de guia para entrar no Complexo Poço Azul e o caminho para chegar nas cachoeiras é bem sinalizado. O valor da entrada é R$70 e dá acesso à todas as cachoeiras do complexo. O restaurante do Complexo Poço azul é bem legal, com várias opções de pratos e petiscos.

Encanto Azul

O Encanto Azul está localizado 7km depois do Poço Azul, pela estrada de chão (é uma estrada de chão em bom estado, tranquila para trafegar).

Chegando lá você paga R$30 para conhecer o Encanto Azul. Depois de uma caminhada rápida você chega a um lago formado a partir de uma nascente, com a água bem azulada no meio dos paredões de rocha.

O único desconforto é o cheiro um pouco ruim de fezes e xixi de morcego, mas nada que vá te impedir de curtir o lugar.

Para evitar pegar o Encanto Azul cheio uma boa dica é ir na hora do almoço, por volta do meio dia, quando as pessoas param para comer. Chegamos lá por volta de 11h30 e tinha bastante gente. Esperamos uma meia hora e ficamos com o lugar só para nós.

No Encanto Azul não tem restaurante, apenas um bar com bebidas e salgadinhos.

Onde comer na Chapada das Mesas?

Não tem muitas opções de restaurante por lá, mas ficam aqui algumas sugestões:

  • Sorveteria Doce Vida: tem um sorvete estilo tailandês feito na chapa muito bom.
  • Bar Chega+: para ver o pôr do sol e tomar uma cerveja. Também serve refeições e petiscos.
  • Pizzaria do Tio Pepe
  • Churrascaria Estrela do Sul
  • Restaurante Rio Lajes
  • Restaurante do Complexo Poço Azul

E ai, curtiu esse post? Comenta ai se tiver alguma dúvida sobre a Chapada das Mesas, vamos adorar te ajudar!

E se você quiser receber novidades e nossos novos posts é só colocar o seu e-mail no formulário aqui em baixo (prometo que só vamos te mandar e-mail legal!).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.