Nova Delhi, uma das principais portas de entrada da Índia.

Visitei a Índia em 2015, e demorei para escrever sobre uma das principais cidades de lá.

Veja o vídeo da minha passagem pela Índia

Em minha passagem pela Índia, usei Nova Delhi como porta de entrada e saída e como um hub para outras cidades que visitei, como Agra, Varanasi, Amritsar e McLeod Ganj. É bem possível que você faça o mesmo também, então vou contar aqui algumas coisas legais para se fazer por lá.

Como de costume aqui no GetOutside, algumas informações importantes:

Como chegar

Nova Delhi é uma das principais cidades do país e é servida por inúmeros voos no Aeroporto Internacional Indira Gandhi. Existem algumas empresas indianas low cost que voam para alguns destinos no país e países próximos por bons preços. Eu, por exemplo, usei as empresas SpiceJet e Jet Airways e tudo foi super ok.

Leia também:
Principais golpes a turistas na Índia
10 coisas que você precisa saber antes de ir para a Índia

Sugestão de roteiro de 15 dias pela Índia
O que fazer em Varanasi

Nova Délhi também é servida por inúmeras linhas de trem que viajam por todo o país. Viajar de trem na Índia é comum e uma experiência interessante. Escrevi um post sobre como comprar passagens de trem na Índia e recomendo que vocês deem uma lida.

Aonde ficar

Délhi é uma cidade gigante e com inúmeras opções de hospedagem. Fiquei hospedados em dois hostels quando passei por lá, em regiões distintas da cidade.

O primeiro hostel que fiquei foi o Madpackers, que fica na região sul de Delhi, mais próximo da Qutub Minar. É fantástico, um dos melhores hostels que já fiquei, e para padrões Índia é algo inimaginável. É também relativamente próximo de uma estação de metro, que usei bastante na minha estadia por lá.

Delhi

Outro hostel que fiquei foi o da rede Zostel, que fica a 500 metros da estação de trem e é uma boa opção se você tem algum trem para pegar durante sua viagem. A região, contudo, não é muito boa, e o hostel em si nem de perto se compara ao Madpackers.

Duas regiões são muito recomendadas para turistas: Connaught Place e Karol Bagh.

O que fazer em Delhi

Vamos falar, enfim, do que fazer em Délhi.

Old Delhi

A parte antiga da cidade é um bom cartão de visita do que é a Índia. Um caos de cores, cheiros e gente, muita gente!

É bom você estar desde já preparado com o que eu sempre chamo de Índia Mode. Caminhar por Old Délhi, por sí só, é uma atração e tanto já, mas existem alguns atrativos por lá, como a Jama Masjid, uma mesquita muito interessante que fica no coração de Old Delhi.

Jama Masjid mosque

A Jama Masjid é uma mesquita que foi construída entre 1644 e 1656. É uma estrutura imponente no meio do caos de Old Delhi, e possui um pátio enorme e algumas torres de observação que podem ser visitadas.

Old Delhi

Mulheres devem estar cobertas para visitar a mesquita, e é possível alugar panos na entrada para tal, caso você não esteja preparada.

A mesquita fica bem em frente a outro ponto interessante para se visitar em Old Delhi, que é o Red Fort.

Red Fort

O Red Fort foi por anos a residência dos imperadores da dinastia Mughal e hoje abriga museus e uma área interessante de se visitar, com uma arquitetura e um jardim muito lindos.

O Red Fort foi construído em 1639 e tem este nome em razão da cor da muralha que o cerca. Em 2007, foi incluído como patrimônio cultural mundial pela UNESCO.

Qutub Minar

Outra construção com origens islâmicas, a Qutub Minar é uma torre que fica dentro do complexo de Qutub, na região de Mehrauli. É também considerado patrimônio cultural pela UNESCO.

A torre, principal atração do complexo, tem 73 metros de altura e uma escadaria de 379 degraus que leva ao topo. Sua construção iniciou em 1192, tendo sido concluída em 1369.

Além da torre, o complexo possui inúmeras construções históricas e igualmente interessantes, como a mesquita Quwwat-ul-Islam e a estrutura conhecida como Iron Pillar of Delhi.

Vale a visita!

Humayun’s Tomb

Humayun’s Tomb é a tumba do Imperador Humayun e foi construída entre 1569 e 1570. O complexo é gigante e possui jardins lindos. Fica localizado na região de Nizamuddin. Também é considerado patrimônico histórico da humanidade pela UNESCO.

Além da tumba, existem inúmeras construções ao redor e espalhadas pelos jardins, o que fará você passar no mínimo uns 40 minutos explorando.

Lotus Temple

Conhecido por seu formato de flor, o Lotus Temple é uma das principais atrações de Delhi e é aberto a todos, sem restrição de religião ou qualquer outra questão. Possui uma arquitetura muito bonita, tendo ganhado inúmeros prêmios em razão disso.

É um templo da fé Bahá’í, que prega que seus templos são espaços para pessoas de todas as religiões se unirem e rezarem. Como falei, não há restrição de religião, sexo, raça ou qualquer outra questão para acesso e uso do templo.

India Gate

O Índia Gate é um memorial de guerra localizado em Nova Délhi dedicado a 70 mil soldados indianos que morreram no período da primeira guerra mundial.

É um monumento imponente e muito bonito, no estilo do Arco do Triunfo, em Paris.

Nizamuddin Dargah

Esta atração é interessantíssima. Não vi nenhum turista ocidental. Me senti intimidado em alguns momentos, então vá com cuidado e muito respeito. Você vai caminhar por alguns becos estreitos, cheios de gente, pedintes, até chegar no mausoléu de Khwaja Nizamuddin Auliya, um santo Sufi que viveu entre 1238 e 1325.

Fica próximo ao Humayun’s Tomb, na região de Nizamuddin.

Delhi
Delhi

É um lugar muito visitado, aparentemente, mas foi um dos poucos lugares que me senti intimidado em alguns poucos momentos. Se recomendo? Claro! Ninguém me abordou de forma inapropriada, entrei e saí numa boa, basta apenas ter respeito e cuidado.

Gurudwara Bangla Sahib

A Gurudwara Bangla Sahib é um templo da religião Sikh, uma das religiões que mais me encantaram na Índia. É a mesma religião do Golden Temple de Amritsar, minha primeira parada na Índia. Recomendo bastante que vocês leiam a respeito dessa religião.

O templo fica localizado próximo a Connaught Place, em Nova Délhi.

Gandhi Smriti

Essa é a residência aonde Gandhi passou os últimos 144 dias de sua vida, até ser assassinado, no pátio. Foi convertido em um museu muito legal que conta sua história.

Fica situado em um bairro muito diferente do caos Indiano, numa rua chamada Tees January Road. Vale a visita.

Para ver todos os posts da minha viagem para a Índia, clique aqui.

E se você puder ajudar o blog, use nossos links para fazer reservas no Booking.com, para aluguel de carro no Rentcars, e para seguro viagem dá uma lida no post que fiz analisando os melhores seguros para trilhas e aventuras em geral.

Cadastre seu e-mail para receber as dicas de viagem e fotografia do GetOutside.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.