Não é minha intenção desmerecer quem vai até Machu Picchu de trêm/ônibus/van/carro, de forma alguma. Mas a trilha que fiz até lá foi certamente uma das experiências mais legais e marcantes que já tive, por inúmeros motivos. Existem inúmeras trilhas até Machu Picchu, como a trilha Inka clássica, a trilha Salkantay e a Inka Jungle Trek, que foi a opção que escolhi, em razão das atividades que envolvia (bike, tirolesa e rafting – que estava indisponível em razão das chuvas).

Abaixo segue o relato de cada dia da Inka Jungle Trek e, ao final, como resolvi marcar a experiência em mim:

Você já segue o blog no Instagram? Clique aqui e diga o que você acha das minhas fotos.

Dia 1 – Cusco à Santa Maria – Downhill Bike e Trilha

O primeiro dia da Inka Jungle Trek inicia cedo, com uma viagem de van de Cusco até Abra Malaga, um local situado a 4.200 metros de altitude. De lá, partimos para um trajeto de bike até Santa Maria. O trajeto todo tem aproximadamente 70 km, praticamente todo “ladeira abaixo”. Em razão da altitude, o início do trajeto é frio, em um clima de montanha. Conforme se desce, você nitidamente sente a troca de clima, para uma temperatura mais tropical, entrando no clima de floresta.

Leia também:
8 coisas que você deve fazer em Cusco
Qual a melhor hospedagem em Cusco

Roteiro de 15 dias por Bolívia e Peru
Em dúvida se deve conhecer o Vale Sagrado? Não mais!

O trajeto é todo feito no asfalto, e por inúmeras vezes você cruzará cursos d’água que transcorrem por cima do asfalto. É certeza que você terminará o dia encharcado. Então, se possível, leve um par de tênis extra.

As paisagens no caminho são indiscritíveis. Veja abaixo um vídeo que fiz do trajeto de bike e aqui as fotos.

Após o trajeto de bike é servido um almoço em um restaurante local. De lá, seguimos de van até o trecho onde se inicia a trilha para o local da nossa primeira noite. A trilha é curta, de aproximadamente meia hora.

O local da primeira noite é espetacular, fica situado no meio da floresta, com instalações bem simples. Todo o grupo dorme no mesmo cômodo, que possui algo em torno de 20 beliches.

Destaque fica para o mongoose “domesticado” que vive lá:

Inka Jungle Trek
Inka Jungle Trek

Dia 2 – Santa Maria à Santa Tereza – Trilha

O segundo dia é inteiro de trilhas, uma caminhada longa, exaustiva, e que me causou um sério problema no joelho. Verdade seja dita, o problema não foi culpa da trilha, e sim de uma pré-condição já existente minha. O resto do grupo, além do cansaço, não sentiu absolutamente nada.

Resumindo, do segundo dia em diante eu só conseguia mancar, e com muita dor. Mas isso tornou a viagem ainda mais desafiadora, e não arruinou em absolutamente nada toda a aventura.

Mas falando da trilha em sí, mais uma vez paisagens lindas, algumas paradas para descanso/conversa/fotos. Esse dia rendeu fotos lindas. Depois de mancar muito e ficar para trás no grupo, enfim chegamos, ao fim do dia, às águas termais de Santa Tereza.

Inka Jungle Trek
Inka Jungle Trek

Uma das principais razões que fizeram essa experiência ser tão marcante foi a forma como todo nosso grupo (aproximadamente 15 pessoas) se deu bem. Isso rendeu boas conversas, novas amizades e um desafio de futebol ao fim do segundo dia entre os 3 escoceses do grupo mais um australiano contra 2 brasileiros e 2 argentinos. O jogo terminou 2 a 2 e sim, mesmo sem conseguir andar, eu joguei.

 Dia 3 – Santa Tereza à Águas Calientes – Trilha e Tirolesa

Nem todos do grupo fizeram a tirolesa, mas o que fizeram certamente não se arrependeram. Essa foi a primeira atividade do dia, e eu não poderia ter feito escolha melhor, não só pela diversão em si, mas também por ter poupado algumas horas de caminhada com o meu joelho ruim.

Zipline
Zipline

O maior trecho da tirolesa fica situado a 150 metros do chão, e percorre uma distância de aproximadamente 400 metros.

Para maiores informações, clique aqui. Veja também abaixo o vídeo que fiz:

Depois da tirolesa, o grupo todo se encontra para o almoço, na hidrelétrica de Santa Tereza. De lá, parte a trilha até Águas Calientes.

Essa trilha é feita praticamente toda sobre os trilhos do trem, em superfície plana. É uma caminhada leve, apesar de longa, e com paisagens também deslumbrantes.

Inka Jungle Trek
Inka Jungle Trek

Em Águas Calientes há também um local para banhos em águas termais. Sinceramente, fiquei decepcionado ao chegar até o local e decidi nem entrar na água, que tinha cor turva e muita gente. Optamos por conhecer melhor a cidade e descansar, já que no dia seguinte subiríamos muito cedo para Machu Picchu.

Dia 4 – Machu Picchu

O 4º dia inicia com uma subida íngreme e cansativa até Machu Picchu. Infelizmente, não pude fazer esse trecho, já que meu joelho não aguentaria.

Decidi, então, pegar o primeiro ônibus que sai de Águas Calientes até Machu Picchu. É um trajeto rápido, que me poupou das dores que certamente eu teria se encarasse a subida a pé.

Ao chegar em Machu Picchu, temos um tour de aproximadamente 2 horas com nosso guia por toda a cidade. Após, pode-se explorar a cidade livremente, ou subir a montanha de Huayna Picchu (a famosa montanha que fica ao fundo das tradicionais fotos de Machu Picchu) ou a montanha de Machu Picchu, no lado oposto.

A opção é feita quando se contrata o pacote, e nós havíamos optado por Huayna Picchu. Mesmo com muitas dores, encarei a subida íngreme, mas fui recompensado com uma vista incrível de Machu Picchu.

Descrever Machu Picchu é certamente um exercício difícil, que prefiro deixar para as fotos que tirei por lá. Clique aqui para ver o álbum.

Após a visita iniciamos o retorno à Águas Calientes, que pode ser por ônibus ou pela trilha. Em Águas Calientes pegamos o trem de volta até Ollantaytambo, de onde sairia a van que nos levaria de volta à Cusco.

Todo o problema no joelho e as dores que senti me renderam o sentimento de ter conquistado Machu Picchu. Além de uma experiência diferente e marcante, a Inka Jungle Trek me rendeu novas amizades, que embalaram alguns drinks e boas conversas na volta à Cusco e depois em La Paz.

Mais do que chegar à Machu Picchu, todo o caminho que percorri até lá, com as dificuldades que tive, foi o que realmente me marcou. E decidi, ao final, registrar isso de uma forma especial:

"...and know that the true worth of your travels lies not in where you come to be at the journey's end, but who you came to be along the way"
“…and know that the true worth of your travels lies not in where you come to be at the journey’s end, but who you came to be along the way”

Se você estiver precisando de seguro viagem, sugiro que deem uma lida no post que fiz sobre o melhor seguro de viagem de aventura. Lá, fiz uma análise de coberturas e exclusões que se aplicam a trilhas. Se você está pensando em fazer a trilha para Machu Picchu, recomendo fazer um seguro com cobertura para trilhas!

Se esse post te ajudou de alguma forma, curte e compartilha clicando nos botões abaixo. É de graça e fará um blogueiro muito feliz!

51 COMENTÁRIOS

    • Puxa, Jacques, muito obrigado pelo elogio, fico muito feliz!

      Chegamos em Cusco já no início da madrugada, já que pegamos o trem que saía de Aguas Calientes às 21h30.

      Nosso trajeto de volta funcionou da seguinte forma:

      Aguas Calientes – Ollantaytambo: Trem das 21h30, tempo de viagem em torno 1h40 mins
      Ollantaytambo – Cusco: Van, em torno de 2hs

      Qualquer dúvida escreve aí!

      Abraço!

  1. Olá, Alessandro, adorei seu relato sobre a Inka Jungle Trail, estou tentada a fazê-la agora em julho. Você fez a trilha com a Loki? Recomenda? Qual o valor? Já estava inclusa a tirolesa? 😉

    • Oi Liana, fico muito feliz que você gostou!

      Fiz a trilha com a Loki sim, e recomendo demais. Tudo foi absolutamente perfeito, o guia era muito gente boa (procura no facebook por Amoroso Machupicchu), tocou a trilha num ritmo bom, nosso grupo também era muito bom, acho que muito em razão do astral da galera que fica no Loki, que é sensacional. Você não precisa estar hospedada no Loki para contratar os pacotes com eles, mas como a agência fica dentro do hostel, a galera que fecha os pacotes é em grande parte o pessoal que está no hostel.

      O valor, hoje, está USD 215 (http://www.lokihostel.com/en/travel/tour/inka-jungle-trek-machu-picchu), e a tirolesa se paga separado, o valor é USD 30. Eu gostei MUITO da tirolesa, e minha namorada, que não tava muito animada, também gostou demais e disse que teria se arrependido de não ter ido.

      Qualquer outra dúvida que você tiver, só escreve aí que vai ser um prazer ajudar!

      Abração!

  2. Nossa super curti seu relato! Pretendo ir ano que vem, mais ainda não decidi o mês, e fiquei super animada com a trilha. Eu vou sozinha, como mulher me preocupava um pouco, mas acredito que deve ser tranquilo ir sozinha já que a gente acaba sempre encontrando uma galera legal. Agora uma dúvida, o Downhill é perigoso?Vocês descem numa estrada tipo mão única e passam muitos carros? Eu vi o vídeo, mas não dá para ter certeza. Teve algum acidente?
    Acho que vou ter que intensificar meus exercícios na academia algum tempo antes, com certeza ficarei acabada hahahaha.
    Obrigada por compartilhar sua experiência.

    : )
    Abraços

    • Que bom, Aline, fico feliz que vc tenha curtido!!

      Ainda ontem falava com uma amiga que iria sozinha também. Na trilha você não estará sozinha, pq vai acabar se enturmando com a galera toda!

      Eu não consideraria o downhill perigoso, mas também não é a coisa mais segura do mundo. Você precisa ter bastante cuidado, pois estará passando em estradas de montanha, mas o asfalto é excelente e bem sinalizado e, no horário que você passa por lá (cedo da manhã) o movimento não é tão grande. Mas a estrada está aberta normalmente para tráfego de veículos, incluindo caminhões. No vídeo tem um momento que três caminhões passam no sentido contrário!

      Mesmo com o tráfego de veículos, em momento algum eu me senti inseguro, já que os motoristas sempre respeitaram o tráfego de bikes. Além disso, atrás do comboio sempre vai uma van de apoio e, caso você queira parar, é só subir na van e seguir viagem. Não teve nenhum acidente no meu grupo e a galera curtiu demais o passeio.

      Abraço e qualquer coisa é só escrever aí!

      • Olá!
        Agora que revi o vídeo, estava no trabalho e acabei não conseguindo ver direito antes : ). Li alguns relatos de Downhill, não esse que você fez, que teve até morte, gente caindo e se quebrando toda…Tenso. Eu tenho fobia de altura, mas sonho em ir à Machu Picchu desde criança, será difícil em alguns momentos, mas pelo sonho valerá com certeza e quero fazer Huayna Picchu também. Bom, ainda falta muito para minha viagem, mas seu relato já ficou na minha lista dos favoritos.

        Obrigada novamente
        : )

        • Legal, Aline! Você não vai se arrepender. Acho que os relatos que você leu devem ser com relação ao downhill na estrada da morte, na Bolívia. Lá, ao que parece, a condição das estradas é mais precária e já rolaram alguns acidentes, inclusive com morte.

          Se precisar de qualquer ajuda, avisa aí!

          Abração!

  3. Olá Alessandro seu blog é ótimo. Estou planejando fazer a trilha em outubro, mas queria fazer uma mais curta devido ao pouco tempo que vou ter em cusco, você sabe se existe essa opção no loki??
    Obrigada 😉

          • Super útil suas informações! 🙂 vou fazer um depósito na western union também, não sabia dessa alternativa!! Quanto ao hostel loki você super recomenda também ou viu algo de muito negativo? os banheiros e a internet são bons? bjus

            • Puxa, fico feliz em ter ajudado, Cecília!! Sobre o Loki, eu super recomendo, mas depende do que você está procurando. O Loki é um party hostel, com um bar muito agitado dentro do hostel. Isso é certeza de muita animação, drinks e bons amigos. Fiz bons amigos por lá, e acabei viajando com alguns depois e inclusive visitando outros em seus países. Minha experiência foi muito legal, mas já aviso que a música rola alta até tarde. Quando fiquei lá, peguei um quarto duplo e dormi sempre numa boa, mas as vezes ouvia a música e a conversa que rolava lá no bar!

              Dito isso, não preciso dizer que, em que pese essa questão do barulho em alguns momentos, a experiência no Loki foi muito boa, o banheiro era muito bom e a internet também. O Loki foi um dos melhores hostels que já fiquei, acho que essa atmosfera é muito o que eu procuro em minha viagens, mas isso é uma coisa bem pessoal!

              Se você for fechar com eles e não tiver problema, acesse por esse link aqui: http://www.booking.com/hotel/pe/loki-hostel-cusco.pt-br.html?aid=384726;sid=79fed79ebbb097ae5850916f371d31ee;dcid=1. Como participo do programa de afiliados do Booking.com, eu ganho uma comissão e você não paga nada a mais por isso!

              Qualquer coisa é só escrever aí!

              bjo

  4. Barulho não é problema é solução hahah, já ouvi falar que o hostel era bem movimentado, só estava preocupada com os banheiros mesmo, ja reservei o hostel pelo seu link, muito obrigada novamente!! bjos

  5. ola colega vc sabe me informar o acesso ate alguma cachoeira prox a regiao de cusco?? eu li alguma coisa que uma cidadeznha chamada pisac teria,vc teria alguma agencia para indicar na regiao? grato

  6. Bom dia Alessandro, tudo bem?
    Brother, excepcional tua experiencia no trek.
    Estou indo para Cusco no sábado com minha namorada e gostaria apenas da dica para bookar o hostel + passeio.
    Como no próprio passeio passamos noites fora, como voce fez para não gastar com a hospedagem do Hostel?
    É possivel bookar Hostel + Passeio antecipadamente?

    Lhe agradeço muito pelas suas contribuições, seus relatos foram fundamentais para decidirmos nossa viagem.

    Grande abraço

    • Fala Diego, tudo bem e por ai? Fico feliz que o relato tenha ajudado de alguma forma, de coração!
      Você consegue reservar com antecedência sim, entra em contato com o pessoal do Loki (http://www.lokihostel.com/en/travel) que eles te respondem rapidinho. Quando eu fui para a trilha deixei minhas mochilas em um armário que o pessoal do Loki disponibiliza para os hospedes, assim você não precisa levar todas as suas coisas e também não precisa pagar diária do quarto.
      Qualquer dúvida fica à vontade para escrever.
      Abração e boa viagem!

  7. Ola Alessandro!
    Irado seu blog, parabens!!
    Gostaria de saber se você não fez o passeio para o vale sagrado, ou eu que não entendi direito… hahah
    Obrigada!!!!!

  8. Fala Alessandro! Cara, me animei de fazer uma trilha por causa deste post. E olha que já faz 2 anos deste seu relato, hein 🙂

    Me surgiram duas dúvidas, que agradeceria sua opinião.

    Primeiro, infelizmente não tem mais a opção de fazer Huayna Picchu. Sabe dizer se a montanha de Machu Picchu também vale a pena, já que a outra não está mais disponível?

    E segundo, rola tanta coisa assim pra fazer em MP e Aguas Calientes pra ficar até as 21h mesmo, ou se pudesse, você teria voltado mais cedo?

    Abs!

    • Poxa, Vitor, fico feliz em ler essas coisas!! Você não vai se arrepender, essa trilha foi umas das mais legais que eu já fiz. Machu Picchu (a montanha) também é interessante sim, a subida é puxada pelo o que eu ouvi falar, mas acho que vale a pena sim. Sobre Aguas Calientes, eu teria certamente voltado mais cedo. Primeiro, a cidade não tem muitas atrações mesmo (as águas termais, quando eu fui, estavam horríveis), segundo porque você fica bem cansado, então quanto antes chegar em Cusco, mais tempo você tem para descansar. Espero ter ajudado e qualquer dúvida escreve aí! Abs!

  9. Oi!!

    Eu tenho que dizer que você me convenceu a fazer a trilha logo na primeira vez que li esse post, quando estava pesquisando dicas de viagem para o Peru. Eu e minha irmã estamos indo pra lá em janeiro e já nos programamos para fazer a trilha com o Loki, onde ficaremos hospedadas em Cusco. Queria só saber uma coisa. Você reservou a trilha com quanto tempo de antecedência? e fez a reserva como? pelo site? Eu fiquei um pouco confusa porque no site não tem a opção de “comprar online” como vemos nos sites brasileiros. Eu também assustei um pouco com o valor, porque é muito barato. Eu vi essa mesma trilha em outros sites de hostels ou de agências por U$600,00, enquanto no Loki está só U$230. Mas como a recomendação foi muito boa, nos estamos torcendo para que dê tudo certo.

    • hehe que bom, Gisela. Você não vai se arrepender da trilha! Eu reservei com bastante antecedência, porque não queria arriscar (acho que foi um mês e meio). Mas eu vi que teve gente que conseguiu entrar no meu grupo no mesmo dia. Se você puder reservar, eu não arriscaria deixar para a última hora. Manda um e-mail para o pessoal da Loki Travel que eles te passam as instruções para reservar, eu fiz todo processo por e-mail com eles. Sobre o valor, tem que ver se é exatamente a mesma trilha. Acho que os valores se equivalem, mas se você está encontrando muita diferença talvez não sejam as mesmas trilhas (tem que ver a quantidade de dias e o que inclui cada uma) ou tem alguém explorando turista aí hehe!O pessoal do Loki é muito profissional, recebem milhares de mochileiros e eu fui extremamente bem atendido, seja por e-mail ou pessoalmente quando cheguei lá. A trilha em si também foi tudo perfeito, não tenho absolutamente nada pra falar deles! Me avisa se você precisar de mais alguma informação! bjs

  10. Ola Alessandro,

    Estou planejando uma viagem para conhecer Machu-Picchu em maio de 2016 e não tinha me interessado em fazer a trilha até ler seu blog (muito bom, por sinal)!
    Minha ideia é de ficar um dia em Cusco, um dia para visitar o vale sagrado, e os 4 dias da trilha, já que não consigo mais de 10 dias de férias e como moro no sul e a viagem de ida e volta acabam levando cerca de 1 dia por conta disso.
    Bom… eu nunca fiz nenhuma trilha com duração de mais do que algumas horas, então obviamente surgem muitas dúvidas, como o que levar, etc… já que serão 4 dias. O pessoal da Loki da assistência quanto a isso?

    Como são as acomodações das 3 noites? Imagino que sejam simples, mas da pra dar uma boa recarregada nas energias? tomar um banho decente? rsrs

    No quarto dia, que horas mais ou menos, é possível estar de volta? (se você ainda lembra rsrs) Pergunto pq provavelmente minha viagem de volta será no dia seguinte.
    Enfim, tudo o que li aqui só me deixou ainda mais animado para esta aventura!
    Abs!

    • Legal, Alfredo. Fico feliz que você gostou do blog!

      Eu tenho só elogios ao pessoal do Loki, seja o pessoal do hostel em si (bar, staff, etc), como da agência de viagens deles que fica dentro do hostel. No site deles tem uma lista do que você deve levar, que eu reproduzo abaixo para facilitar (http://www.lokihostel.com/en/travel/tour/inka-jungle-trek-machu-picchu):

      Hiking boots/shoes
      Backpack (30 to 40 liters)
      Comfortable clothing for trekking
      Rain gear or poncho (rainy season)
      Sandals for evenings
      Clothing for warm weather
      Warm sweater / jacket for 1st morning
      Flashlight + extra batteries
      Camera
      Hat for the sun
      Sun block
      Sunglasses
      Water bottle
      Personal medical kit
      Insect repellent
      Toilet paper
      Snacks
      Swimsuit
      Spending money (soles)
      Original passport
      ISIC card (if applicable)

      Acho que essa lista deles cobre tudo o que você precisar. Eles também alugam alguns equipamentos caso você precise, como botas impermeável para trilha e bastão de trekking.

      Sobre as acomodações, a primeira noite é num lugar bem simples e o banho é precário, mas isso faz parte da experiência, na minha opinião. Se não tivesse esse perrengue do primeiro dia eu ficaria chateado hehe! Nas noites seguintes você fica hospedado em hotéis simples, mas como cama e banheiros confortáveis.

      No último dia de trilha existem duas opções de trem para retornar, se não estou enganado. Eu acabei pegando o trem das 21h e cheguei tarde em Cusco, mas sei que existem opções mais cedo e é só você pedir ao pessoal do Loki que eles consegue reservar um trem mais cedo para você.

      Se precisar de mais informações é só avisar! E se você for ficar hospedado no Loki (ou qualquer outro hotel em Cusco) e não for problema para você, peço que reserve através desse link aqui: http://www.booking.com/hotel/pe/loki-hostel-cusco.html?aid=384726. Por ele eu ganho uma comissão que o pessoal do Booking.com me paga e você não paga nada mais por isso.

      Abs,
      Alessandro

      • Valeu pela lista de itens.
        Também acho que uns perrengues fazem parte e tornam a experiencia ainda melhor. Só perguntei mesmo para ter uma noção de como é.

        Uma dúvida que me surgiu é que lendo outros blogs e noticias, vi que devido a altitude algumas pessoas passam mal. Se você mencionou isso em algum relato, não me lembro, mas não aconteceu com ninguém do seu grupo?

        Outra dúvida é relação a quantidade de dinheiro a levar. Sei que é muito pessoal, pois algumas pessoas tendem a gastar mais, outras menos. Andei pesquisando, mas as respostas que encontrei são muito vagas… Alguns dizem pra levar dolares, outros soles. Você se lembra mais ou menos o que levou na época?

        • Eu cheguei em Cusco vindo de La Paz, que é bem mais alto, então não tive problemas. Na realidade, senti um pouco em La Paz, mas a altitude não me afetou muito. Cada pessoa sente diferente, você terá que ver como vai reagir e estar preparado. Existe um comprimido chamado Soroji Pills que é muito efetivo e recomendo você comprar lá em Cusco. De todo modo, Machu Picchu é mais baixo que Cusco e você não deve ter problemas por lá.

          Sobre grana, pelo que recordo gastei em torno de R$ 2.500 em todo o meu roteiro (http://getoutside.com.br/roteiro-15-dias-bolivia-peru/), excluindo passagens de avião e a trilha para MP (inclusos hospedagens, transporte, alimentação, etc). Levei Dólar em espécie e também usei cartão de débito para sacar e VTM (na época o IOF era 0,38%). Em Cusco, pelo que lembro, paguei praticamente tudo usando o VTM. Pelo que lembro, troquei um pouco de dólar no próprio Loki, mas não lembro a cotação da época.

          Se tiver mais dúvidas só mandar!

          Abs!

  11. Olá Alessandro, gostei muito do seu relato. Estou indo em setembro e pretendo fazer essa mesma trilha. A minha dúvida é: em algum momento ela fica perigosa? Vi um video e fiquei com medo de um equipamento que transporta as pessoas pro outro lado do precipício.. haha
    Outra coisa, será que corro o risco de não conseguir comprar la na hora, ou tem que comprar antecipado? Valeuu :*

    • Pâmela, não senti a trilha perigosa em nenhum momento. Olha, eu sempre acho melhor marcar com antecedência para não correr risco, mas na vez que eu fui tinha gente fechando um dia antes, então talvez você não tenha problema em fechar na hora. De todo modo, se você puder, melhor garantir com antecedência! Abs!

  12. Olá Alessandro, gostei bastante do seu blog e o seu post foi bastante esclarecedor, me convenceu de verdade a fazer a trilha. Só estou preocupada/assustada com o downhill, não sei se tenho experiência o suficiente para descer na bike. Existe alguma outra alternativa para este passeio? Abraços!

  13. Olá, achei muito legal o seu relato. Ajuda muito! Estou planejando fazer essa trilha mas não sei em quais datas ocorrem. Gostaria de saber se a agência tem datas pre-definidas e se tem algum lugar onde posso achar essas datas.
    Obrigada!

    • Renata, que bom que você gostou! Não sei te dizer ao certo, mas devem existir saídas diárias ou no mínimo umas 3 ou 4 por semana, já que a procura é alta. De todo modo, recomendo que você entre em contato com eles para ter uma maior certeza. Envia um e-mail para o pessoal do Loki que eles respondem rapidinho! Abs e boa sorte!

  14. Alessandro boa tarde! Vi que você pegou o tempo meio ruim em Cusco, você foi em qual época do ano?
    Já li em diversos lugares que o ideal seria ir de abril a setembro pra Machu Picchu, mas minhas férias nunca batem com essa época.

  15. muito bom seu post!
    estou pensando em fazer essa viagem em fevereiro/2017!

    tenho bastante duvida em o que levar durante esses dias ate Machu picchu!
    como voce planejou?
    o resto da bagagem ficou em cusco?

    • Gabriel, obrigado pelo comentário. Deixei meu mochilão em Cusco, no hostel que eu estava hospedado. Muita gente faz isso, então eles estão acostumados. Sobre o que levar, não tem muito mistério, você tem que levar o básico para trilhas: Roupas leves e de fácil secagem, roupa para proteger da chuva, meias e calçados confortáveis, toalha de fácil secagem, protetor solar, repelente, garrafa d’água, etc. Abs.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Coloque seu comentário
Coloque seu nome