Digo sem medo de ser injusto que Fernando de Noronha é o lugar mais bonito que conheci no Brasil. Fernando de Noronha faz jus a toda fama e elogios recebidos. Especialmente para aqueles amantes da água, Fernando de Noronha é um paraíso na terra.

Passei 5 dias na ilha em março de 2011, boa parte dentro d’água! Infelizmente não mergulhei tanto quanto queria, mas sem sombra de dúvidas estarei na ilha em breve.

[mapsmarker layer=”5″]

A fama de ser um lugar caro também confere. Hospedagem, alimentação, passeios, tudo é um pouco (ou muito) mais caro que o regular. A passagem para se chegar à Fernando de Noronha é cara, além da taxa de preservação ambiental (os valores podem ser consultados aqui) que você paga por dia na ilha (a taxa pode ser paga pelo site também, e eu recomendo que você faça se você é uma pessoa que não gosta de filas).

Mas para ser sincero, melhor que seja assim. Mesmo com preços altos, Fernando de Noronha vem se tornando um destino popular, e destino popular não é algo que combina com preservação ambiental, com raras exceções. Apesar do controle sobre a ilha ser muito bom nesse aspecto, quanto maior o número de pessoas, maior a geração de resíduos sólidos, e lixo para uma ilha é um grande problema, isso sem falar na falta de respeito de alguns turistas com a fauna marinha.

Mas enfim, vamos falar de coisas boas!

 

Minhas 6 dicas do que fazer em Fernando de Noronha

Fazer uma lista é sempre um risco e, em se tratando de Fernando de Noronha, algumas coisas muito boas poderão ser deixadas de fora.

Antes de indicar minha lista do que fazer por lá, quem estiver programando onde ficar, onde comer e outras informações relevantes, sugiro uma visita no Viaje na Viagem.

Enfim, vamos a lista de 6 coisas que você deve fazer em Fernando de Noronha:

1. Naufrágio Eleani Sthatatos

Situado no Porto de Santo Antônio, possui fácil acesso pela praia. É preciso nadar um pouco em direção à saída do porto, quase na linha dos moles.

O Eleani Sthatatos é um navio grego, que afundou em Fernando de Noronha em 1929. No caminho até o naufrágio é possível avistar tartarugas, lagostas, raias, alguns peixes e até tubarões (não tive essa sorte).

Não é sempre que você consegue acessar algum naufrágio assim tão fácil, já que o Eleani Sthatatos está perto da praia e a uma profundidade muito rasa (veja as fotos acima).

2. Baía dos Porcos

Na minha opinião, um dos lugares mais bonitos de Fernando de Noronha. O acesso (pelo menos por onde cheguei lá) é pela praia da Cacimba do Padre, o que exige ou uma boa caminhada de ida e volta, ou algum tipo de transporte (buggy, moto, etc). A primeira vez que fui na Baía dos Porcos foi de carona, e fiquei tão encantado que voltei no dia seguinte, também de carona.

O caminho para chegar lá, por si só, já é um grande atrativo. A praia da Cacimba do Padre, preferida dos surfistas é espetacular e o morro Dois Irmãos, paisagem tradicional de Fernando de Noronha, dá um toque especial ao visual. Da Cacimba do Padre se chega à Baía dos Porcos por uma pequena trilha, próxima ao Dois Irmãos. Ao lado direito de quem vai para a Baía tem um pequeno caminho, onde é possível chegar até a ponta da pedra, ficando de cara com o famoso cartão postal da ilha (veja foto abaixo):

Fernando de Noronha

Mas e por que eu gostei tanto da Baía dos Porcos? Achei o snorkel sensacional, com uma vida marinha muito bacana, algumas tartarugas, frades e outros tantos peixes, além do visual de ter o Dois Irmão à sua frente. A profundidade é razoável, com pedras e paredões para todos os lados. A visibilidade também é excelente, o que permite  fotos sub muito interessantes.


3. Trilha do Atalaia

Existe a trilha curta e a longa. Eu recomendo a longa, pelo simples motivo que você conhece uma parte maior de Fernando de Noronha. No entanto, não vá além de sua capacidade física, e decida o que for apropriado para o seu preparo. A trilha curta leva em torno de 30 minutos, saindo da Vila do Trinta, onde fiquei hospedado. Já a longa leva aproximadamente 5 horas, porém no caminho você faz algumas paradas pra banho, além de observar a paisagem do lado inabitado da ilha. Ambas as trilhas precisam de guias e é importante que você marque com alguma antecedência, já que existe uma limitação para o número de visitantes.

A piscina natural do Atalaia não deve ser deixada de lado em hipótese alguma. É um aquário raso, com muita vida marinha e com grande chance de se ver tubarão. Tive a sorte de me deparar com um filhote de reef shark:

Fernando de Noronha

A flutuação no Atalaia é controlada pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio) e você tem somente 20 minutos para aproveitar, então explore bastante, mas respeite às rígidas regras, as quais são devidamente explicadas antes de você entrar na água.

A trilha, como eu já tinha dito, é uma boa oportunidade de você conhecer o lado inabitado de Fernando de Noronha. O trajeto que fiz saía da Vila do Trinta, ia para o Atalaia e depois em direção ao porto. Fizemos algumas paradas pelo caminho para banho, o que me renderam boas fotos.

Fernando de Noronha

4. Baía do Sueste

A Baía do Sueste está situada no lado do mar de fora de Fernando de Noronha. Possui fácil acesso, já que a BR que corta Fernando de Noronha (a segunda menor do Brasil) termina (ou começa) exatamente na entrada da Baía. O acesso é controlado e só se pode entrar na água de colete salva vidas (você pode alugar coletes na entrada da Baía).

Você certamente nadará com muitas tartarugas, já que a Baía é um dos principais locais de alimentação delas. Eu, infelizmente, não tive a sorte, mas dizem que o Sueste é um dos principais locais para se avistar tubarões em Fernando de Noronha.Fernando de Noronha

5. Praia do Sancho

Certamente uma das praias mais belas que já estive. Chegar nela já é uma maravilha por si só. Ouvi dizer que existem três maneiras de se chegar no Sancho:

De barco, já que a praia é uma das poucas onde é permitida a ancoragem. Fiz um passeio pelo mar de fora, saindo do Porto e indo praticamente até a outra ponta, com uma parada no Sancho. O barco ancora em um ponto bem profundo e você pode cair na água. A vida marinha no Sancho é espetacular, leve sua máscara e snorkel e faça a festa.

A segunda maneira de se chegar ao Sancho é pela escadaria entre as rochas. Também fiz esse caminho, pois tive que voltar lá mais uma vez. Dessa vez foi possível aproveitar um pouco a praia, sem depender do barco estar saindo ou algo do tipo. Aproveitei para explorar os dois lados da baía e tirar umas boas fotos.

A terceira maneira é por uma trilha vindo da Baía dos Porcos, mas não tive a oportunidade de fazer esse caminho.

Meu conselho é: Independente de como você for, não deixe de ir, é um lugar extremamente bonito, protegido pelas falésias ao fundo e com um mar lindo de visibilidade impressionante à sua frente. É certamente um dos lugares mais bonitos de Fernando de Noronha!

Fernando de Noronha

6. Mirante do Boldró

Outra parada obrigatória em Fernando de Noronha, o Mirante do Boldró é um ponto de encontro no fim da tarde de todo mundo que está por lá. O motivo: O pôr do sol espetacular visto lá de cima. A foto abaixo fala mais do que qualquer palavra:

Fernando de Noronha

7. Bônus! Não deixe de mergulhar…

Se você tem curiosidade em mergulhar com cilindro (scuba diving), não deixe de fazer isso em Fernando de Noronha. Águas calmas, quentes, com visibilidade impressionante e muita vida marinha: A combinação perfeita para quem quer conhecer o esporte.

Se você já é um mergulhador credenciado, então, nem se fala.

Fiz 2 mergulhos com a Atlantis Divers, e me arrependo demais de não ter mergulhado mais. Antes de mais nada, mergulhe o máximo que você puder, realmente vale a pena. Sobre as operadoras de mergulho, existem outras na ilha, mas a Atlantis me pareceu a melhor estruturada de todas.

Fomos para dois pontos próximos ao Porto:

Cagarras Rasas e Buraco das Cabras.

O primeiro ponto foi Cagarras Rasas, visibilidade muito boa e uma diversidade de vida marinha muito grande também. Vi barracudas, raias, moreias, e muitas espécies de peixe. É um mergulho bem tranquilo, não exigindo muito do mergulhador.

O Buraco das Cabras é um mergulho de correnteza (drifting), muito bom de se fazer. Em termos de vida marinha eu diria que é do mesmo nível do Cagarras Rasas, porém as formações rochosas são muito interessantes. Além disso, por ser um mergulho raso, a visibilidade fica ainda melhor. Ao final do mergulho fomos premiados com golfinhos passando acima de nós, muito legal ouvir o barulho do sonar e, de repente, aquele raio passando acima de você!

Abaixo um vídeo que fiz dos mergulhos em Noronha:

Veja as fotos do mergulho aqui.

Abaixo, o logbook:

Mergulho #1 – Cagarras Rasas

Data: 12 de março de 2011
Profundidade: 19 metros
Duração: 40 minutos
Visibilidade: 30 metros
Temperatura da água: 27 C

Mergulho #2 – Buraco das Cabras

Data: 12 de março de 2011
Profundidade: 13 metros
Duração: 43 minutos
Visibilidade: 35 metros
Temperatura da água: 27 C

Qualquer dúvida é só comentar abaixo que eu respondo no mesmo dia!

Se você gostou do post, tenho um pedido especial: Compartilhe nas redes sociais usando os botões abaixo e me ajude a continuar escrevendo sobre viagens!

Se você estiver precisando de seguro viagem, sugiro que deem uma lida no post que fiz sobre o melhor seguro de viagem de aventura.

2 COMENTÁRIOS

DEIXAR UMA RESPOSTA

Coloque seu comentário
Coloque seu nome