Há três semanas atrás subi o Pico dos Marins, um dos picos mais altos do estado de São Paulo e a 26ª montanha mais alta do Brasil.

O Pico dos Marins fica na Serra da Mantiqueira, quase na fronteira com o estado de Minas Gerais e a aproximadamente 200 km de São Paulo. O cume fica a 2.420 metros de altitude e a trilha para chegar até lá dura em torno de 6 horas, dependendo da sua preparação.

Você pode fazer um bate volta, ou seja, subir o Pico dos Marins e descer no mesmo dia, ou acampar lá em cima.

Abaixo vou contar um pouco da minha experiência e dar minhas dicas para quem quiser visitar o Pico dos Marins.

Como chegar no Pico dos Marins

Uma boa parte das pessoas que vai fazer a trilha do Pico dos Marins usa a cidade de Piquete, em São Paulo, como base. O ideal é você fazer um pernoite em Piquete ou em alguma cidade da região para poder iniciar a trilha logo cedo pela manhã, independentemente se você vai fazer um bate e volta ou dormir lá em cima.

Pico dos Marins

Por indicação do guia que nos acompanhou, ficamos hospedados na pousada Águas Claras, que é uma pousada bem simples em suas acomodações, mas que possui um café da manhã excelente, estacionamento, wi-fi e um banho quente.

A diária saiu por R$ 60,00 e o banho na volta da trilha por R$ 20,00. O contato é (12) 99779-4583.

Da pousada levamos em torno de 1 hora de carro até o ponto de partida da trilha. Fomos no carro do nosso guia. Desse ponto de partida começou a longa e cansativa caminhada que falarei mais abaixo.

Quando ir ao Pico dos Marins

A melhor época para ir ao Pico dos Marins é entre maio e setembro. Apesar do frio, é a época mais segura, já que em outras épocas a chance de tempestades e raios é grande, o que traz uma insegurança muito grande.

Com guia ou sem guia

Antes de fazer a trilha li bastante a respeito pela internet, em blogs, fóruns e sites especializados.

A verdade é que não é exigido que você utilize o serviço de guia para subir ao Pico dos Marins. Você pode fazer a trilha sozinho, mas eu não recomendo, a não ser que você tenha bastante experiência no trajeto e também em fazer trilhas longas.

Isso porque a trilha é longa e cansativa, e o caminho, apesar de demarcado em uma boa parte, a parte mais difícil, de subida íngreme, não está. O guia sabe o caminho certo que você deve seguir, o que vai ajudar você a chegar mais rápido e em segurança, e também vai evitar o pior, que é você se perder no meio do nada.

Pico dos Marins

Apesar de encontrar algumas pessoas ao longo do caminho, passamos um bom tempo sozinhos, ou seja, se você se perder é provável que você fique sem ver pessoas por um bom tempo.

Minha dica é: Não arrisque.

Contratei o Milton, que é um dos mais experientes guias do Pico dos Marins e uma espécie de celebridade por lá, o que comprovei com a quantidade de pessoas que o cumprimentavam ao longo do caminho e lá no cume. O Milton conhece o caminho como poucos e é uma pessoa muito agradável. Pagamos R$ 150 por pessoa para fazer a trilha no sábado, dormindo lá em cima, e retornando a Piquete no domingo.

O contato do Milton é (11) 99770-1991.

A trilha ao Pico dos Marins

Como falei antes, a trilha leva em torno de 6 horas (fiz em 7) em um caminho bem irregular e com uma ascensão muito íngreme.

Isso significa que você precisa ter um bom preparo físico, principalmente nas suas pernas. Minha ideia não é assustar ninguém, mas dar um aviso para não estragar o programa de ninguém.

Muita gente acaba não chegando no cume e acampa em áreas de acampamento que ficam logo abaixo do cume. Isso é bem comum e se você chegou até aqui já se sinta um vencedor!

Além de ter um bom preparo, um espírito aventureiro vai muito bem também. Existem vários trechos da trilha onde você irá praticamente escalar as pedras, como pode se ver das fotos abaixo.

Pico dos Marins

Dito isso, apesar de cansativa, a trilha é linda. Bem rapidamente você terá uma visão linda da Serra da Mantiqueira e seguirá por horas com uma visão sensacional de todo o vale ao redor do Pico dos Marins.

O que levar ao Pico dos Marins

Isso depende se você vai dormir lá ou não. O recomendável é que você leve em torno de 3 litros de água por dia e comida para aguentar a longa subida e descida.

Eu levei basicamente sanduíches frios para as principais refeições que fiz (almoço, janta e café da manhã do dia seguinte). Além disso, estávamos com algumas barras de cereais e paçoquinha (e vinho para passar frio em estilo).

Você não pode fazer fogo lá em cima, mas algumas pessoas levam fogareiro para cozinhar algo em segurança.

Fora comida e água, em termos de equipamento fui com barraca e saco de dormir para 0 graus (a temperatura lá no cume chegou próximo dos zero graus e tinha bastante vento), calçado para trilha (bota ou tênis), calça confortável para fazer movimentos longos (você tem que esticar bastante a perna em movimentos para subir certas partes), duas camisetas (uma manga comprida térmica), luva e um casaco bem forte para o frio. Repito: Lá em cima faz bastante frio.

Tente levar apenas o necessário, já que quanto menos peso você carregar melhor para a subida (e para a descida também).

Abaixo algumas fotos da minha passada pelo Pico dos Marins:

DEIXAR UMA RESPOSTA

Coloque seu comentário
Coloque seu nome