Depois de 4 anos, voltei ao Peru. Queria conhecer Arequipa, passar novamente pela maravilhosa Cusco e chegar a Machu Picchu novamente, mas dessa vez pela trilha Salkantay.

Para quem não sabe, fui ao Peru e à Bolívia em 2013, e fiz um roteiro de 15 dias, passando por La Paz, Copacabana e Isla del Sol, Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu pela Inka Jungle Trek. Dessa vez, passei 20 dias e o roteiro foi Uyuni (salar), Cusco, Machu Picchu pela trilha Salkantay, Arequipa e La Paz.

Se você está planejando uma viagem ao Peru, recomendo que leia os posts que já escrevi, especialmente o relato da Inka Jungle Trek que fiz em 2013.

Basicamente, existem algumas trilhas tradicionais para se chegar à Machu Picchu. As principais são a trilha Inka tradicional, a Inka Jungle Trek e a Trilha Salkantay.

Assim como no post de 2013, farei um relato dia a dia da trilha. Antes disso, algumas informações importantes.

Agência 

Assim como na outra vez, fechei a trilha pela agência de viagens do hostel Loki. Gostei muito do atendimento, as referências foram sempre muito boas e eu mesmo pude provar em 2013 que o serviço deles era de qualidade. Mais uma vez fiquei muito satisfeito. O valor que paguei foi US$ 257.

Existem muitas agências em Cusco oferencendo a Salkantay e é possível que você consiga um preço melhor. Recomendo apenas que pesquise antes sobre a agência para saber se ela é de confiança.

O que está incluído

Todas as hospedagens, sua entrada para Machu Picchu e o seu retorno a Cusco. Além disso, com exceção do primeiro café da manhã e do último almoço (quando você provavelmente estará explorando Machu Picchu), todas as refeições estão inclusas. Isso significa café da manhã, almoço, chá da tarde e jantar (vou postar fotos das refeições abaixo). Além disso, você pode escolher subir uma das duas montanhas: Huayna Picchu ou Machu Picchu. Paga-se um valor extra por isso.

O que levar

Essa lista é importante e recomendo que você esteja preparado. Leve o mínimo possível de coisas, a fim de evitar peso desnecessário. No primeiro dia você pode separar 5kg de coisas suas para que seja carregada pelas mulas que acompanham o trajeto. Minha lista do que deve ser levado:

  1. Repelente, dos bons. Eu fui devorado e estava usando repelente.
  2. Protetor solar.
  3. Água (leve um ou dois litros e compre o resto no caminho. Existem vários locais para compra ao longo da trilha).
  4. Papel higiênico.
  5. Lanterna, preferencialmente de cabeça.
  6. Calçado apropriado para trilhas, de preferência à prova d’água. Você vai caminhar mais de 70 km em terrenos irregulares.
  7. Toalha.
  8. Duas ou três camisetas leves.
  9. Duas calças leves.
  10. Dois ou três pares de meia, de preferência de lã e apropriados para trilha. Se você levar qualquer meia vai ter bolha nos pés.
  11. Uma ou duas camisetas térmicas (segunda pele).
  12. Fleece.
  13. Jaqueta para frio, de preferência à prova d’água.
  14. Capa de chuva, caso sua jaqueta não seja impermeável.
  15. Mochila de ataque e uma outra para comportar os 5kg para as mulas. Eu não tinha essa segunda mochila ou mala, então comprei um saco grande por 2 soles e acomodei minhas coisas extras.
  16. Saco de dormir (você pode alugar em Cusco – eu aluguei saco e bastões de caminhada por
  17. Alguns snacks, mas nada demais. Comprei 9 barras de cereal e comi umas 4, já que sempre tínhamos comida.
  18. Kit médico básico. Eu levei bandaid, remédio para dor de cabeça, spray antisséptico e remédio para altitude.
  19. Soles (cash).

Acho que a lista acima tem o básico, o resto fica por sua conta (câmeras, objetos de higiene pessoal, etc).

A trilha Salkantay

Tradicionalmente a trilha Salkantay é feita em 5 dias, com o último dia dedicado a Machu Picchu. Contudo, existem opções de 4 dias, que foi a que eu escolhi em razão do meu tempo apertado para ir a outros lugares.

Vou relatar aqui o dia a dia da trilha nos 4 dias e um breve relato do que acontece na versão de 5 dias, assim a informação fica completa.

Dia 1 – Cusco a Soraypampa

Você deve estar na recepção do hotel/hostel no horário combinado no seu briefing, que deve ocorrer um dia antes da partida. No meu caso, tive que estar na recepção às 4:25.

O grupo parte de Cusco até Mollepata, onde um café da manhã é servido. Esse café da manhã não está incluso e sai por 10 soles. Aqui também é onde você vai separar sua bagagem extra de 5 kg para que seja carregada pelas mulas. Você só vai pegar suas coisas no acampamento onde passará a noite. Você também deverá pagar 10 soles para entrada em Mollepata e início da trilha.

Depois do café da manhã, seguimos de ônibus por mais 40 minutos até o ponto de início da caminhada. Lá, o guia dará algumas instruções e iniciará a caminhada. São aproximadamente 45 minutos de subidas e, depois, a caminhada ocorre basicamente no plano. O total é de 10 km e as vistas são espetaculares.

Chegando em Soraypampa, o almoço é servido e, logo após, você tem a opção de fazer um hiking de aproximadamente 1 hora até a lagoa Humantay. Eu queria guardar minhas pernas para o segundo dia, que é o dia mais cansativo, mas acabei sendo convencido a ir até a lagoa. Não me arrependi. É uma das paisagens mais bonitas da trilha Salkantay, então recomendo que você vá, mesmo que esteja cansado. A subida até lá é cansativa (bastante), mas você não vai se arrepender e vai tirar fotos incríveis. Veja abaixo algumas fotos que tirei de lá.

Quando você retornar da lagoa, um chá será servido e é hora de relaxar. Um pouco após o chá o jantar será servido. Não tenho do que reclamar da comida da trilha Salkantay. Sempre tínhamos uma entrada, sopa e prato principal, sempre muito bem servidos e com opção para vegetarianos. Veja abaixo o que foi servido no primeiro dia.

Depois do jantar o grupo vai relaxar um pouco, conversar, e logo ir pra barraca dormir, já que no dia seguinte é dia de subida pesada, altitude e frio.

As barracas ficam montadas sob um galpão, ou seja, não estão totalmente expostas, e serão divididas por 2 ou 3 pessoas. Um colchonete estará disponível, mas sem travesseiros, que podem ser alugados por 10 soles, caso você precise.

Salkantay

Você também pode tomar banho quente, a um valor de 10 soles, mas ninguém do nosso grupo encarou o banho, então não posso dizer se era realmente quente.

Dia 2 – Soraypampa a Chaullay

O segundo dia é talvez o dia mais desafiador da trilha Salkantay. Isso porque você terá uma ascensão grande, chegando a 4600 metros de altitude, e terá talvez a temperatura mais baixa também.

Segundo dia Salkantay

O dia começa as 5 da manhã, com você recebendo um chá quente de coca diretamente na sua barraca. Depois de tomar seu chá, você terá que recolocar sua bagagem extra para que as mulas carreguem e ir tomar o café da manhã.

Se você consumiu sua água, é possível comprar mais no local. Eu paguei 8 soles por uma garrafa de 1 litro.

Logo após o café da manhã você começa a ascensão. São 7 km de subidas até chegar a Abra Salkantay, ponto mais alto da trilha Salkantay, a 4600 metros. Você faz a subida no seu tempo, e é natural que o grupo acabe tendo pessoas que cheguem antes ao topo e outras que demorem um pouco mais em razão do esforço físico.

No meu caso, apesar da subida ser cansativa, o mais difícil foi a temperatura, que estava negativa, com ventos moderados e neve. Em certos momentos também pegamos chuva. É importante que você esteja preparado para enfrentar chuva e temperaturas baixas, então na saída para o segundo dia prepare sua mochila com coisas para essas situações.

Depois de atingir Abra Salkantay, o restante do caminho é apenas descida, o que diminui o esforço muscular, mas aumenta a carga nos joelhos.

As paisagens até o ponto do almoço são espetaculares, como você pode ver de algumas fotos abaixo.

O local do almoço é simples, mas possui banheiro (1 sole) e uma tenda caso você precise comprar água ou outra coisa. Ficamos um tempo por ali descansando depois do almoço, e rolou até uma partida de futebol na altitude entre os guias e algumas pessoas dos grupos que almoçaram por ali.

Abaixo o que foi servido no almoço:

Depois do almoço, a trilha continua montanha abaixo, mas aí já ingressando num clima de floresta, ou seja, um pouco mais quente, úmido e com mosquitos! A caminhada é tranquila e com paisagens já um pouco diferentes (troca-se picos nevados por florestas).

Ao chegar no local do acampamento, é possível também tomar banho e comprar algumas coisas. Paguei 10 soles por um banho quente (quente mesmo) e 10 soles para usar o wi-fi, que funcionou bem, apesar de não muito rápido.

 

Nesse dia também o pessoal tomou uma cerveja para relaxar. Paguei 15 soles por uma cusqueña de litro.

Depois do jantar, nosso guia apresentou a equipe que nos acompanhava, basicamente o chef, dois assistentes e a pessoa responsável pelas mulas. Organizamos no grupo 40 soles por pessoa para darmos de gorjeta a todos.

As barracas aqui também estavam montadas em um lugar coberto.

Dia 3 – Chaullay a Aguas Calientes

O terceiro dia também começa às 5 da manhã, exatamente como no dia anterior. Após o café, começamos a caminhada que intercalava subidas e descidas, em uma paisagem toda de floresta e seguindo o rio Urubamba. Fizemos algumas pequenas paradas (rolou novamente um futebol em uma dessas paradas) até chegarmos a um ponto onde pegamos uma van para nos levar ao local do almoço.

O almoço segue a qualidade dos demais dias. Veja abaixo as fotos.

Após o almoço é que muda quem faz 4 ou 5 dias.

Basicamente, quem faz 5 dias segue a trilha até Santa Teresa, onde passará a noite. De lá, seguirá o quarto dia da Salkantay de Santa Teresa até Aguas Calientes, onde passará a quarta noite, fazendo Machu Picchu no dia seguinte (quinto dia). Para quem faz 5 dias é possível também fazer a tirolesa em Santa Teresa, que é muito legal e recomendo (abaixo é um vídeo meu de 2013 na tirolesa).

Seguindo o relato da opção de 4 dias, seguimos de van do local do almoço até a hidrelétrica de Santa Teresa. Daqui caminharemos por mais umas 2 horas e meia pelos trilhos do trem até chegar em Aguas Calientes. Essa caminhada pelos trilhos é totalmente plana e num clima muito tranquilo, bem gostoso de fazer.

Salkantay

Em Aguas Calientes você enfim dormirá em uma cama! O hotel que ficamos era bem legal. Os casais ficaram em quartos privados e eu dividi um quarto triplo com mais 2 pessoas. O jantar naquela noite também estava incluído. Depois do jantar, fomos em um bar curtir um pouco o “fim” da trilha Salkantay.

Dia 4 – Aguas Calientes a Machu Picchu

O último dia da trilha Salkantay é dedicado a Machu Picchu. Você encontrará o guia às 4 da manhã e começará a subida até Machu Picchu. Na verdade, a subida só é liberada a partir das 5, mas a fila de pessoas é grande.

Essa subida de Aguas Calientes a Machu Picchu é íngreme e cansativa. Basicamente, é como você estivesse subindo escadas por 1 hora aproximadamente, e depois de ter feito 4 ou 3 dias de trilha.

Muita gente decide subir de ônibus (foi meu caso em 2013), mas as filas são gigantes também e, dependendo da temporada, você deverá acordar lá pelas 2 da manhã para pegar um bom lugar na fila. O primeiro ônibus sai às 5:30.

Para essa subida, leve uma camiseta limpa na sua mochila, pois você vai chegar lá em cima pingando de suor.

Ao chegar, você terá um tour de aproximadamente 2 horas com seu guia e, depois, terá tempo livre para explorar Machu Picchu por conta própria. Os que compraram os tickets poderão também subir Huayna Picchu ou Machu Picchu, que são duas montanhas dentro do complexo e que podem ser exploradas por quem comprou os tickets.

É bom você levar algo para comer e água para seu tempo em Machu Picchu, pois depois de entrar você poderá sair e voltar apenas uma vez no complexo.

Na hora de ir embora, você pode optar por descer até Aguas Calientes pelo mesmo caminho que subiu, ou pegar o ônibus, que custa US$12 para estrangeiros.

De Aguas Calientes você retornará a Cusco de trem ou ônibus. Os que optarem por ônibus terão que caminhar de Aguas Calientes até a Hidrelétrica, pois os ônibus partem de lá.

Para quem optar por trem, são três horários que fazem o trajeto de uma hora entre Aguas Calientes a Ollantaytambo. O horário que está incluso no pacote é o das 21:00, o que é muito tarde e fará que você chegue em Cusco lá pela 1 da manhã.

Como eu já conhecia Machu Picchu e não iria subir Huayna ou Machu Picchu (a montanha), peguei o primeiro trem, que parte às 16:22. Existe uma outra opção às 18:45. Aos que puderem, recomendo pegar o trem mais cedo.

Em Ollantaytambo uma van estará esperando você para fazer o trajeto até Cusco, onde termina o tour.

Gostou do relato? Tem alguma dúvida? Deixa seu comentário abaixo!

DEIXAR UMA RESPOSTA

Coloque seu comentário
Coloque seu nome