Essas histórias de pessoas que escolheram um estilo alternativo (no sentido de alternativo ao que é comum) de tocar a vida e ver o mundo sempre me fascinam.

E a história do Rob Lutter é uma dessas histórias que me deixam com um brilho no olho e que merecem serem compartilhadas por aqui.

Quem é Rob Lutter

Antes de falar da expedição do Rob mundo a fora, é interessante conhecer o próprio Rob. Mais do que belas fotos e uma bela expedição, o Rob tem uma história de vida que merece ser contada.

O Rob é um fotógrafo, designer e escritor nascido na Inglaterra. Depois de trabalhar em inúmeros lugares, finalmente entrou para a indústria cinematográfica de Londres, onde permaneceu por 4 anos até se dar conta de que aquele não era seu sonho. Frustrado com a vida que levava, entrou em depressão. O Rob conta que andava pelas ruas de Londres se questionando sobre a felicidade e a vida que levava. Mas ele achou uma saída.

Um certo dia Rob viu, na mesa do seu chefe, o livro “The Man Who Cycled the World”, de Mark Beaumont, que conta a história da viagem de bicicleta feita pelo autor ao redor do mundo. Estava plantada a ideia.

A expedição

Os meses que se seguiram foram intensos, de planejamentos, pesquisas, preparações, pedir demissão, contar à família e amigos, etc. Toda essa história está contada nos Journals do site mantido pelo Rob sobre sua expedição http://thelifecycle.roblutter.com. O que eu particularmente gosto é do viés poético que o Rob usa para contar sua passada pelos lugares. Não se trata de um blog de viagens com dicas sobre os locais, mas sim de uma expedição em busca de criatividade, aventura, felicidade, mudanças, e o descobrimento e a criação de histórias através de filmes, palavras e fotografias, como ele mesmo coloca:

I did not want to be some guy who lost his way and just road off into the middle of nowhere, never to be seen again. This was a project, not a holiday, it had a purpose, an aim. Raising money to save lives. Developing a portfolio. Finding happiness and focus again. A new way of life, not just a temporary escape.

A expedição é uma volta ao mundo de bicicleta (40 mil km), de Londres a Londres, levantando fundos para caridades que tratam de depressão, mas principalmente uma viagem de descobrimento do próprio Rob.

A expedição não possui qualquer tipo de patrocínio, e a grana que o Rob tinha era proveniente de todo o esforço que ele fez para guardar e também da venda de alguns objetos pessoais. No entanto, em Hong Kong a grana terminou, e então o Rob teve que recorrer ao Kickstarter, site americano de crowd-funding (acesse o projeto do Rob no Kickstarter clicando AQUI). Assista abaixo o vídeo produzido pelo Rob para a campanha:

A intenção do Rob era angariar £5.750, mas ele acabou conseguindo £ 8.622 com o apoio de 332 pessoas, dentre as quais eu estou orgulhosamente incluído! Assim, o projeto pode seguir em frente com sua bike.

Segundo o site do Rob, ele já pedalou 18.200 km e passou por 23 países, tendo levantado mais de £ 3.200 libras para caridade.

Fotografia

Como falei antes, o Rob é fotógrafo e escritor, e isso traz um ingrediente especial ao projeto todo. Além de textos muito legais sobre a aventura, o Rob vem documentando tudo com fotos espetaculares, além de projetos e ensaios fotográficos feitos com pessoas que ele conhece pelo caminho.

O Instagram do Rob, que tem quase 55 mil seguidores (acesse AQUI), já foi destaque em inúmeras matérias em razão de tudo o que ele vem vendo e compartilhando ao longo da expedição.

Além das fotos no Instagram, o Rob vem tocando alguns projetos, que podem ser conferidos neste link: http://thelifecycle.roblutter.com/creations/

Lá é possível ver a transformação do próprio Rob ao longo da jornada, no projeto que ele chama de The Facecycle (uma foto por dia de si mesmo):

Para seguir a expedição do Rob, basta seguir seu perfil no Facebook (clique AQUI), Instagram (clique AQUI) e Twitter (clique AQUI), além de acompanhar o site http://thelifecycle.roblutter.com/.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Coloque seu comentário
Coloque seu nome